segunda-feira, 22 de abril de 2013


Oficina de comunicação para a paz – Ministério da Saúde

Ontem, dia 21 de abril de 2013, encerrou a Oficina de comunicação para a paz, oficina promovida pelo Ministério da Saúde, por meio da Área Técnica de Saúde da Criança e Aleitamento Materno-ATSCAM/DAPES/SAS. Iniciativa que faz parte das ações de prevenção da violência e promoção da cultura de paz, através projeto Nas Ondas do rádio a prevenção da violência contra crianças e adolescentes, que também acontecerá nos estados do Nordeste, nas cidades do Rio de Janeiro, Florianópolis e Campo Grande.
O evento desenvolveu dinâmicas de sensibilização na temática da violência e atualização da linguagem do rádio utilizando a metodologia da problematização conexa às práticas da comunicação radiofônica na indução da educação em saúde. Profissionais do estado Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Roraima e Tocantins a Oficina culminou com a produção de spots da temática de   prevenção da violência contra crianças e adolescentes.

O NTE Ananindeua participou com 03 formadores representando o seguimento Rádio Escola. O evento direcionado para os estados da Amazônia legal, aconteceu aqui no município de Ananindeua no Hotel Martan Spa – Rodovia Mário Covas, 91,  nos dias 19, 20 e 21 de abril de 2013. Oferecendo aos radialistas, educadores e outros profissionais do rádio da região palestras de sensibilização:
-Apresentação da situação da violência contra crianças e adolescentes no País/Região/Estado.
-Imaginário da violência – Tipos e natureza da violência (Exposição dialogada).
-REDES e Sistema de Garantia de Direitos e importância da denuncia e notificação
-A importância do rádio na prevenção da violência contra criança e adolescente - Como tornar o radialista, protagonista da ação? Histórias da vida. 
-15:50 Comunicação e ação para a prevenção da violência contra a criança e adolescente - O rádio como instrumento cidadão e suas possibilidades. 
-Dinâmica – Acorda corpo! Afinar a garganta como se fosse um instrumento – exercício de vocalização.

Corpo Técnico do evento
Coordenação:
Gilvanir Pereira Grajeiro
Raquel Niskiee Sanches

Consultoras:
Mara Régia (Radialista)
Cristina Alvin Castello Branco (Pedagoga)
Mariana Simões Barros (Infraestrura)


Algumas informações do material do evento.
Por que o rádio? Considerado o meio de comunicação de massa mais acessível, o rádio está presente na vida cotidiana de praticamente todos os lares brasileiros. A sua popularidade começa na sua linguagem oral que privilegia o fazer de outras atividades enquanto se escuta os programas radiofônicos, mantendo aguçadas as emoções, reflexões e criatividade dos ouvintes.

Com qual objetivo? Agregar novos atores sociais às redes de atenção integral às crianças, adolescentes e suas famílias em situações de violências valorizando o potencial da linguagem radiofônica na difusão das ações de prevenção da violência e promoção da cultura de paz. Para tal, serão realizadas oficinas de sensibilização para cem profissionais de rádios comunitárias, educativas/escolares, comercias e publicas.
      Qual o objetivo? Utilizar o potencial do rádio na difusão das ações de prevenção da violência e promoção da cultura de paz no território.
      A quem se destina? Aos radialistas (100 no total) de rádios comunitárias, escolares, públicas e comerciais.
      Qual atividade? Realização de oficinas de sensibilização na temática da violência e atualização da linguagem do rádio utilizando a metodologia da problematização conexa às práticas da comunicação radiofônica na indução da educação em saúde. 


Resultados esperados?
1) sensibilizar 100 radialistas de rádios comunitárias, escolares, públicas e comerciais; 2) realização do levantamento situacional das rádios (comunitárias, escolares, publicas e comerciais; 3) a identificação de parceiros em potencial para associar habilidades e competências na execução do projeto. 4)construção do conteúdo metodológico; 5) realização de duas oficinas de sensibilização radialistas; 6) criação e produção 20 peças midiáticas (vinhetas, spots, rap, paródias, cordéis); 2 mil folders/fanzine sobre a temática; 7) realização de um seminário Nacional - culminância do projeto e 8) Culminância - Seminário Nacional para divulgação dos resultados e apresentação das peças produzidas.
Post: Marco Buro

Nenhum comentário: